BLOG_Compras_por_impulso

Compras por impulso: como passar por cima das tentações?

Pergunte-se: por quê?
Jenifer Corrêa

O que acontece quando você vai fazer compras no supermercado com fome? Ou quando você teve um dia terrível no trabalho e, na hora de voltar para casa, passa em frente ao shopping e vê que está tudo em liquidação?

Se a sua resposta para essas perguntas foi “gasto mais” significa que você já caiu na armadilha das compras por impulso.

Mas tenha calma! Você não está só nessa. Pesquisa recente do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas mostrou que 60% da população brasileira faz compras por impulso. Os principais vilões? Roupas, calçados e acessórios em primeiro lugar, seguidos por compras no supermercado, perfumes e cosméticos e, por fim, idas a bares e restaurantes.

Você sabia que muitos fatores podem impulsionar as compras por impulso? Alguns deles, inclusive, são psicológicos e não necessariamente conscientes. Um estudo publicado na revista científica Psychology and Marketing mostrou que comprar pode mesmo melhorar o nosso humor, gerando no cérebro um efeito parecido com o causado pelas drogas.

Sabendo disso, confira agora oito perguntas para se fazer antes de gastar dinheiro e não cair mais na cilada das compras por impulso:

1. Por que estou comprando isso?

Comprar sem pensar não combina com quem está querendo transformar a própria relação com o dinheiro. Toda vez que você pensar em comprar alguma coisa, pense antes no porquê. Se a razão for convincente para você mesmo, não há o que temer. Vá em frente! Mas se nessa reflexão surgir alguma dúvida, esse é o primeiro sinal de que você pode estar sendo tentado pelo impulso.

2. Existe outra forma de atender essa necessidade?

Por trás de toda compra, existe uma necessidade a ser atendida. Muitas vezes existe mais de uma forma de se atender uma necessidade e nem todas elas demandam gastar dinheiro. Pense bem: existem outras formas de atender isso o que você está precisando? Gastar dinheiro é a melhor forma de suprir essa sua necessidade?

3. Eu realmente preciso disso agora?

Se pararmos para pensar, existem muitas coisas de que precisamos para tornar nossa vida melhor. A questão é o timing. Você precisa mesmo disso agora? Não dá para esperar um pouquinho e guardar dinheiro para comprar ou, então, procurar uma oportunidade melhor para fazer esse gasto? (Quando cair o décimo terceiro ou quando chegar a Black Friday, por exemplo?)

4. Esta é mesmo uma oportunidade imperdível?

Algumas oportunidades de compra são muito vantajosas, mas, acredite em mim, elas são minoria. Uma promoção muito vantajosa, um produto exclusivo, uma loja que você dificilmente visitará novamente... essas coisas acontecem e podem ser aproveitadas. A questão é: essa oportunidade que você está vivendo é uma delas?

5. Se eu não estivesse triste ou me sentindo com fome, cansaço ou ansiedade, eu gastaria esse dinheiro da mesma forma?

Muitas vezes usamos as compras como forma de compensação dos nossos sentimentos. Às vezes, preferimos a busca pelo prazer imediato de ter algo que nos atraiu do que ter que enfrentar o que está passando dentro da gente. Esse é um dos principais fatores da compra por impulso e, para evitá-lo, vale refletir: estou fugindo de algo? Eu ainda compraria isso se estivesse me sentindo bem e feliz?

6. Eu tenho dinheiro para comprar isso à vista ou vou precisar parcelar no cartão de crédito?

O cartão de crédito é o grande cúmplice das compras por impulso. Você pode até não ter o dinheiro agora, mas ao parcelar em muitas vezes sem juros o impacto parece ser menor. Mas não é o que acontece na realidade. Ao comprar algo por impulso e ainda parcelar no cartão, você está ampliando o impacto do seu descontrole momentâneo para os próximos meses. Vira uma bola de neve.

7. Eu já estava planejando comprar isso há muito tempo ou a vontade surgiu agora?

Existem algumas coisas que estamos desejando há muito tempo e quando nos deparamos com elas, é natural ficarmos tentados a comprar. Mas nem sempre é assim. Às vezes, a vontade de comprar surge subitamente e se relaciona a algo que você nunca havia pensando em comprar antes. Nesses casos, vale desconfiar. Por que será que me deu vontade de comprar isso do nada?

8. Eu poderia guardar esse dinheiro na Diin para realizar o meu maior sonho (viajar, trocar de carro, casar, dar entrada numa casa...). Vale a pena comprar mesmo assim?

Quando escolhemos gastar o dinheiro com uma coisa, deixamos automaticamente de gastar com outra. Não existe mágica. Antes de comprar algo, reflita: vale a pena deixar de guardar esse dinheiro para um plano maior em nome dessa necessidade imediata? Não existe uma resposta certa para esta pergunta, mas é importante sempre fazer essa reflexão para ter mais consciência ao gastar dinheiro.

Se depois de se fazer todas essas perguntas, você ainda assim quiser comprar o que deseja, vá em frente e desfrute! É importante reservarmos parte do nosso orçamento para gastos que nos dão prazer. Se não for assim, qual o sentido de trabalhar, não é mesmo?

Uma boa dica para enfraquecer as compras por impulso é se planejar e separar uma quantia mensal do seu orçamento para gastos com coisas que fazem bem para você. Assim, quando surgir a vontade, você pode aproveitá-la sem culpa, mas também sem prejuízos.

 

 

 

(Photo by  freestocks.org on Unsplash)

 

+ Posts